O que me leva a viajar?

Do you wanna read it in English? Click here.

Quando voltei para o Brasil, após ter vivido um ano em Dublin e depois de uma longa viagem pela Europa, dentre as muitas perguntas que tanto minha família quanto meus amigos me fizeram, uma se destacou e foi feita frequentemente.

Qual foi seu lugar preferido?

Muitas vezes respondo a essa pergunta da maneira como eu acredito que as pessoas gostariam de ouvir. Elas querem saber sobre como é fumar maconha em Amsterdam, querem saber como é beber cerveja na Alemanha, beber vinho e comer queijo na França, querem saber sobre os monumentos, sobre o Big Ben, sobre a Torre Eiffel, sobre o Portão de Brandemburgo e tantas outras coisas. Mas preciso ser honesto com vocês, essas não são as coisas que eu mais gostei enquanto estava viajando. E eu vou contar para você o que são as coisas que eu gosto.

O plano

Como todos vocês, tudo começou com o planejamento. Ah, o planejamento. Essa pode ser a parte mais agradavel da viagem. Procurando por lugares para se visitar, se perdendo em inúmeras fotos, artigos, blogs, entre tantas outras coisas. Mas, no meu caso, o plano era não ter um plano. O que? Ficou maluco?

Sim, mas não completamente. Eu sabia que eu gostaria de visitar muitos lugares mas não tinha tempo nem dinheiro (esse será um outro post) para ver todos eles. Então eu decidi que para mim, o mais importante não eram os lugares, as cidades em si, mas as pessoas. Eu queria conhecer pessoas, observar sua cultura, seus hábitos, seu dia-a-dia. Então eu reservei três vôos: de Dublin (Irlanda) para Eindhoven (Holanda); de Pula (Croácia) para Paris (França); de Paris para Dublin. Eu tinha uma rota e se quer uma passagem de ônibus/trêm, ou reserva em algum hotel/hostel/cama e café da manhã. Meu plano era pegar carona e “surfar em sofás” atráves da Europa, isso me daria a chance de fazer o que eu queria fazer: conhecer pessoas.

Image

Portanto, se eu contar a verdade quando as pessoas me perguntarem qual foi o meu lugar favorito, fica dificil de escolher um, entre ser hospedado por um casal no meio do nada próximo a Cork (Irlanda), bebendo cervejas e falando sem parar até de madrugada; dividir refeições e tarefas do dia-a-dia com meu anfitrião em Amsterdã (Holanda), um dos caras mais simpáticos que eu já conheci; ser convidado para uma festa/jantar do bairro/comunidade em Bradford (Reino Unido) pela minha querida anfitriã; ouvir tantas histórias diferentes enquanto pegava caronas; sendo deixado em lugares muito a frente ou fora da rota dos motoristas apenas porque estavam gostando da conversa; e tantas outras coisas legais. Mas acredito que minha favorita, e uma que provou ter sido uma boa decisão, foi ter evitado a maior cidade na França e ter ido para a terceira maior.

Por quê? Pessoas.

Image

Image

Então, por que você viaja? O que você gosta mais quanto a viagens? Pessoas? Natureza? Compras? Comida? Um tempo para relaxar. Gostaria de ouvir de vocês.

REDES SOCIAIS

fb-icon twitter-icon instagram-icon pinterest-icon google-plus-icon
Advertisements

11 thoughts on “O que me leva a viajar?

  1. Saber sobre experiências de viagens das pessoas é bom, fazer parte delas, não tem preço!! Já curti o primeiro post!! Não tem como sair das nossas fronteiras e não voltar diferente… Parabéns pelo blog e pela página no facebook!!

  2. O que acho mais interessante de quem viaja, é que a maioria quando volta da trip, volta com a mente aberta, com a cabeça diferente, com outros olhos, outros pontos de vista, e tenho certeza que isso acontece por ter conhecido gente diferente, que pensa diferente e vive diferente. Curti o blog, já ganhou uma fã!

  3. Pra mim a viajem é um dos maiores investimentos pra alma, expandir horizontes e ter uma percepção de mundo, que infelizmente que nunca sair do país vai ter… Pra mim cada país é como se fosse um universo próprio com culturas, leis, morais, e visões de vida completamente diferentes um do outro, e engraçado imaginar que na realidade todos dividem o mesmo planeta.

    • Sim, cada um com uma visão diferente, e quanto mais você vê, mais você consegue ir pegando o melhor de cada lugar, de cada pessoa.
      Não tem jeito, tem que sair de casa e dar de cara com esse mundão mesmo.

  4. Conhecer o novo, sim algo além das fotos e leituras, ao vivo e a cores. E com isso ter a sua sensação e opinião. Isso é o meu grande combustível pra querer mais e mais viajar…a busca do desconhecido.
    Admiro quem busca isso em viagens.
    Um abraço

  5. Pingback: Pérouges: um dos mais belos vilarejos na França | Catraca Livre

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s