Hitchhiking: from Dresden to Prague

Gostaria de ler esse post em Português? Clique aqui.

Dresden was a surprise on my itinerary. I hadn’t planed on going there in the beginning, but after being told good things about there by several people I started to think more about going there. There’s no need to speak much to convince me to go somewhere new, and as soon as I realized that Dresden was on my way from Berlin to Prague, I decided to make a quick stop.
I arrived in Dresden with no place to stay, thus I posted on a “last minute request” group on Couchsurfing, and while wandering around the city, one guy answered my request. He told me he would be busy with a meeting on his house and wouldn’t be able to give much attention, but I would have a place to sleep. It turned out he didn’t have time at all and I only slept there. If the famous “couchsurfing experience” didn’t happen, at least his house was close to the spot I wanted to hitchhike to Prague. I don’t mind walking a lot, in fact it’s my favourite way of visiting a city, so with the sun shining on my back, I walked for nearly one hour and a half to get to that spot I wanted.

State Ministry of Finance, Dresden (Sächsisches Staatsministerium der Finanzen)

State Ministry of Finance, Dresden (Sächsisches Staatsministerium der Finanzen)

I hope you also don’t need much to visit Dresden, as it’s an amazing small and charming city with beautiful monuments. I want to go back there one day to enjoy the night-life (I’ve heard it’s great) and to explore it’s surroundings.

From Dresden to Prague

By that time I already had some experience hitchhiking, so my idea was to try a long lift for about 30 minutes and if there was no sign that someone was going there, I’d try short lifts. Therefore, I putted on a sing to Prague and my thumbs up on the road. After waiting with no sign that somebody was actually going to Prague, I’ve change my sign to Pirna, even thought it wasn’t my intention to go there. My idea was to get a lift with somebody going o Pirna so they could drop me off on a service station on the road to Pirna. This service station was only 15 minutes away by foot from where I was, but it’s forbidden to walk along a motorway in Germany, so I figured it would be easy to get a lift until there, and from there I would certainly get a lift to Prague.

Best hitchhiking spot in Dresden

Best hitchhiking spot in Dresden

Less then 15 minutes after I changed my sign, a guy stopped and agreed on dropping me off on the service station. I got into his car and we started talking, even though the service station was less then 5 minutes away. Perhaps that I was my mistake, ’cause while talking he overtook a truck right in front of the service station’s exit and we miss it.
He apologized for that and told me he would drop me off on the next service station. The problem was that there wasn’t any other service station before the exit to Pirna, and he couldn’t let me on the road, as the only lift I would get there would be from a police officer.

Once in Pirna I had two options, either take smaller roads until the Czech Republic and once there try to get to Prague, or go back to Dresden and try again. I decided that’d be easier to get back to Dresden, as there I would get more traffic going to Prague. Thus I putted back on my sign to Dresden and in less then five minutes I guy stopped. He didn’t speak any English though, so after some miming he got that I wanted to go to Dresden and from there to Prague. What he didn’t get is that I wanted to go back to the spot I started, and just like that we drove around there and he didn’t stop. He ended up dropping me off near my host’s house, letting me again one hour away by foot from where I wanted to be.
So there I was, walking back to that spot. I thought that this time I wouldn’t wait for sucha short lift, I would take the risks and walk along the motorway. I thought I wouldn’t be so unlucky to find a police office on my way.

I wasn’t unlucky indeed, and nothing happened during this short walk. And as I approached the service station, I saw a car driving in. I told myself: “This is gonna be the car that will get me to Prague.”.
Once in the service station, I saw a guy standing right beside that car I had just seen, smoking his cigarette. I walked by and asked if he was going in Prague’s direction. He told me would pass around Prague, and that he could drop me off somewhere around there.
I was fucking happy, we got inside his car and he told me: “I never give lifts. I saw you walking along the motorway and when I saw you coming to me, I thought: “It’s not gonna be today that I will give one lift.”. But you came and started speaking English and then I changed my mind. I’ve been studying English and my teacher will be very happy to know that I’ve practise English for almost 2 hours.”
We took off, driving over 200 km/h in his Volvo. I had never been in a car that fast and it was a bit scary in the beginning, but after I short while you get used to it. The strange part was when we reached Czech Republic’s border and suddenly we were driving around 80 km/h. It seemed as if I was walking again!!!

That’s the sort of things that can happen to you when hitchhiking 😀

SOCIAL MEDIA

fb-icon twitter-icon instagram-icon pinterest-icon google-plus-icon
Advertisements

Carona: de Dresden até Praga

Do you wanna read this post in English? Click here.

Dresden foi uma supresa no meu itinerário. Não tinha planejado passar por lá no começo, mas algumas pessoas me disseram boas coisas sobre lá e comecei a pensar mais sobre isso.
Não é preciso muito para me convencer a ir a um lugar novo, e assim que notei que Dresden estava no caminho entre Berlin e Praga (o trajeto que tinha pensado inicialmente), decidi que deveria parar lá.
Cheguei em Dresden sem lugar para ficar, então a alternativa foi postar no grupo de pedidos urgentes no Couchsurfing, e enquanto eu andava por essa bela cidade um cara respondeu meu pedido. Me disse que estaria ocupado com uma reunião na sua casa e não poderia me dar muita atenção, mas que eu teria um lugar pra passar a noite.
Acabou que ele não teve tempo algum e realmente apenas dormi lá. Se a famosa “experiência couchsurfing” não pode acontecer, pelo menos a casa dele ficava próxima do lugar onde eu queria (mapa) ir para pegar carona pra Praga. Eu não ligo de andar bastante, na verdade é a minha forma favorita de conhecer uma cidade, então aproveitei o dia ensolarado e andei por pouco mais de uma hora e meia pra chegar ao melhor ponto para caronas entre Dresden e Praga.

Ministério de Estado da Fazenda, Dresden (Sächsisches Staatsministerium der Finanzen)

Ministério de Estado da Fazenda, Dresden (Sächsisches Staatsministerium der Finanzen)

Espero não precisar de muito para convencer vocês a visitarem Dresden também, uma cidade com lindos monumentos, pequena e encantadora. Pretendo voltar lá para curtir mais a vida noturna (ouvi dizer que é ótima) e pra explorar os arredores.

De Dresden até Praga

Já com alguma experiência pedindo caronas, minha tática é a de tentar uma carona longa por no máximo 30 minutos, e se não funcionar, parto para as caronas curtas. Assim sendo, coloquei uma placa pra Praga e meu dedão na estrada. 30 minutos se passaram e mudei a placa para Pirna, mesmo não sendo a minha intenção chegar lá. A tática era pedir uma carona para Pirna e conseguir chegar a um posto de serviço que fica na estrada a 15 minutos andando de onde eu estava. Poderia ter tentado ir a pé, mas é proibido andar em estradas na Alemanha então decidi não arriscar, seria mais fácil conseguir uma carona, e lá, esperar por uma carona longa.

Melhor ponto pra pegar carona pra Praga, em Dresden.

Melhor ponto pra pegar carona pra Praga, em Dresden.

Menos de 15 minutos depois de ter mudado a placa para Pirna, um cara parou e disse que poderia me deixar no posto de serviço. Entrei no carro e começamos a conversar, mesmo eu sabendo que a saída pro posto de serviço chegaria em menos de 5 minutos. Talvez esse tenha sido meu erro, pois enquanto conversavamos, ele ultrapassou um caminhão no momento que deveria pegar a saída, e acabamos perdendo ela.
Ele me pediu desculpas e disse que me deixaria na próxima. O problema é que não havia outra antes de Pirna, e ele precisava pegar a saída pra lá. Ele não podia me deixar ali na estrada, pois a única carona que eu conseguiria seria da policia.

Fomos para Pirna, e chegando lá eu tinha duas opções, continuar por Pirna e pegar estradas diferentes e menores até chegar na República Tcheca e de lá tentar algo até Praga, mas eu não sabia nada sobre essas estradas e decidi que era melhor voltar pra Dresden e continuar naquele ponto, aquela era a maior estrada na direção de Praga.

Assim encontrei minha placa para Dresden e em menos de 5 minutos um cara parou. O problema é que o alemão não falava uma palavra em inglês, e na base da mimica consegui explicar que eu queria ir pra Dresden, mas se era possível ele me deixar no ponto que eu queria, próxima a estrada pra Praga. Acontece que ele não me entendeu bem, e não quis parar quando passamos por esse ponto, me deixando em Dresden, mais ou menos próximo a casa do meu anfitrião no couchsurfing.
Bom, lá fui eu andando mais uma hora até o ponto que eu queria. Mas chegando lá, decidi que iria arriscar e andaria até esse posto de serviço. Afinal seriam menos de 15 minutos de caminhada pra alguém que já tinha andado mais de 2 horas naquele dia, e eu não seria tão azarado de passar um carro da polícia durante esses 15 minutos.

Vi um carro entrando no posto de serviço quando eu estava quase chegando lá, e disse pra mim mesmo: “Esse é o carro que vai me levar pra Praga.”.
Chegando no posto, vi o cara parado ao lado do carro dele, fumando um cigarro. Cheguei e perguntei se ele estava indo na direção de Praga e se poderia me dar uma carona. Ele me disse que passaria nos arredores de Praga, e que poderia me deixar por lá.
Fiquei feliz pra caramba, entramos no carro e ele me disse: “Eu nunca dou caronas, e quando vi você chegando, pensei comigo mesmo: “Não será hoje.”. Mas você chegou e começou a falar inglês e aí mudei de ideia. Estou estudando inglês e preciso praticar mais, minha professora vai ficar muito feliz em saber que falei em inglês por quase 2 horas.”
E assim fomos, a mais de 200 km/h em seu Volvo. Eu nunca tinha andando de carro numa velocidade dessa e foi um pouco assustador no começo, mas depois de algum tempo você acostuma. Estranho foi chegar a fronteira com a República Tcheca e passar 80 km/h de uma hora pra outra. Parecia que estavamos indo a pé!!!

Esse é o tipo de coisa que pode acontecer quando você está pega carona 😀

REDES SOCIAIS

fb-icon twitter-icon instagram-icon pinterest-icon google-plus-icon